Tuesday, June 23, 2015

O QUE SIGNIFICA SER CRISTÃO - XII

“Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão saciados” (Mt 5.6) Jesus toma como exemplo duas necessidades básicas do ser humano, para mostrar até onde deveria ir nosso desejo íntimo da justiça de Deus. Jesus conhecia muito bem tanto a fome, quanto a sede, pois ele era 100% homem enquanto aqui viveu, suas necessidades físicas eram iguais às nossas, por isso ele afirmou que somente quando estivéssemos de tal forma sedentos e famintos da justiça de Deus, isso se constituiria num fator de felicidade para nós. Provavelmente não uma felicidade imediata, mas adquirida ao vermos a justiça do Todo-poderoso sendo delineada à nossa volta. O escritor da carta aos Hebreus, no capítulo 11, nos mostra, especialmente nos versículos 4 - 13, que de Abel a Zacarias, todos eles morreram felizes por contemplarem pela fé o cumprimento da palavra e da justiça de Deus: “Viram-nas de longe, e as saudaram”. Não é necessário portanto que vejamos, mas precisamos crer que esta justiça se cumprirá, para que isso se torne em nós um fator de felicidade. Temos que entender sobre o tipo de justiça que o Senhor se referiu, não é sobre a fraca e falha justiça humana, não era sobre os padrões humanos de justiça que ele estava falando, mas sobre o mais alto de todos - O DIVINO. Tornar-se justo do ponto de vista divino deve ser o alvo de todo o ser humano, mas isto só é possível através do sacrifício de Jesus. Na carta aos Romanos 5.1-11, o apóstolo Paulo explica de modo claro como isso ocorre, não por justiça ou mérito nosso, mas pela infinita graça de Deus, que essa justiça nos alcança. 1 ¶ Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo; 2 Pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus. 3 E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência,4 E a paciência a experiência, e a experiência a esperança.5 E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.6 ¶ Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios.7 Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer.8 Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.9 Logo muito mais agora, tendo sido justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira.10 Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados, seremos salvos pela sua vida.11 E não somente isto, mas também nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, pelo qual agora alcançamos a reconciliação. (Rm 5.1-11) Se desejarmos ardentemente essa justiça, literalmente sentindo fome e sede dela, é natural que por ela seremos alcançados mais rapidamente. Este desejo transforma-se cada dia em razão de viver, quando um cristão age retamente, ele está agindo de acordo com a justiça de Deus. Um cristão nascido de novo não tem dois pesos e duas medidas, uma para os que lhe fazem bem e outra para os que lhe fazem mal, pois não é assim que Deus age. A Bíblia nos ensina que Deus faz nascer o sol sobre bons e maus, traz chuva sobre justos e ímpios, é por isso que mais adiante o Senhor Jesus acrescenta ensinando: “ orai pelos que vos perseguem” (Mt 5.44). Isto quer dizer que, ao orarmos por aqueles que nos fazem mal e literalmente nos perseguem, estamos praticando e evidenciando em nossas vidas a justiça de Deus.

No comments: