Sunday, July 5, 2015

O QUE SIGNIFICA SER CRISTÃO - XXI

Viver piamente em Cristo Jesus é o mesmo que respirar e transpirar justiça. Deixa-me fazer-te uma pergunta: tens sofrido algum tipo de perseguição ultimamente por causa do amor e da justiça de Deus na tua vida? Sim? Congratulações, és um bem-aventurado. Não? Alguma coisa está errada no teu relacionamento com Deus, pois desde o Éden que isto ocorre, Abel foi morto por causa da justiça, e depois dele, muitos outros em todos os tempos sofreram perseguições, prisões, açoites e condenações, tudo por causa do viver justo que evidenciaram. É uma pena vermos que a cada dia, esse viver em justiça, segundo Deus, vai sendo substituido nas igrejas pelo viver segundo os homens, sendo que isso ocorre em todos os níveis. E por que? Porque é mais fácil agradar aos homens do que a Deus, é mais fácil parecer grande aqui na terra do que esperar pela recompensa eterna no céu, é mais fácil construir um império em cima de mentiras, difamações e calúnias aqui na terra, chamando isso de obra de Deus, do que esperar com paciência no Senhor que é justo para retribuir a cada um na medida da sua multiforme graça. A promessa de Jesus para os que são perseguidos por causa da justiça é nada menos que ser parte do reino dos céus. Isso nada tem a ver com os reinos e o poderio existentes nesta terra, efêmeros e muitas vezes sem nenhuma memória diante do trono de Deus e do Cordeiro. Amados, tenhamos em mente que o estilo de vida ensinado por Jesus, muitas vezes nada traz de benefício pessoal neste mundo, mas certamente trará, e muito, em termos de felicidade eterna, para aqueles que decidirem viver por ele. Paulo dizia de si mesmo estar sendo derramado como libação, mas esperava a coroa da justiça que o Justo Juiz lhe daria quando chegasse ao céu.

Saturday, July 4, 2015

O QUE SIGNIFICA SER CRISTÃO - XX

“Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céu” (Mt 5.10). Ao proferir a quarta bem-aventurança, Jesus falou sobre os que tinham fome e sede de justiça. Aqui ele se refere aos que são perseguidos por causa da justiça, isto é, perseguidos pelo fato de serem justos. Isto está um passo acima da quarta bem-aventurança, pois uma coisa é sentirmos fome e sede de justiça, e outra é vivermos de tal forma em justiça, ao ponto de sofrermos perseguições por causa disso. Ter fome e sede de justiça é um sentimento interno, que provém de um coração transformado inteiramente pelo poder do Espírito Santo de Deus. Essa transformação se traduz numa vida justa, é a partir daí que certamente passaremos a sofrer. Não por agirmos com má fé, ou com má intenção no coração, mas sim de maneira inteiramente justa. A justiça, segundo Deus, é diferente da humana e quase sempre contraria sentimentos e opiniões. Até mesmo de pessoas que se dizem nossas amigas ou irmãos, as quais esperam que nós venhamos a agir com relação a elas de modo a agradá-las, e quando isso não acontece, portam-se piores que inimigos e começam a nos perseguir. Mas este é apenas um aspecto da questão, a qual envolve muitos outros. O problema é que, às vezes tão grave, que mesmo colegas de ministério, no afã de verem seus interesses pessoais atendidos, quando contrariados por uma atitude perfeitamente justa, revoltam-se e começam a perseguir os outros. Não sei como essas pessoas vão poder explicar este tipo de procedimento ao Senhor nosso Deus, no dia em que forem chamados à Sua presença. O apóstolo Paulo, escrevendo a Timóteo, adverte: “E na verdade todos os que desejam viver piamente em Cristo Jesus padecerão perseguições” (2 Tm 3.12). O que estaria Paulo querendo dizer com isso? Certamente ele já tinha bastante experiência nessa área, pois tendo sido ele próprio um perseguidor dos justos, agora sofria na carne o peso da perseguição, pelo simples fato de viver na justiça de Deus. Paulo podia falar de Himeneu e Fileto, Demas, Alexandre o latoeiro, e outros que o abandonaram por querer ele viver no centro da justiça de Deus, passando a persegui-lo depois disso. Por não depender das ofertas das igrejas, teve seu nome enlameado com acusações, mas diante de todos, sempre provou sua integridade (1Co 4.9-13; 9.1-27). Minha vida pessoal, desde que Deus me enviou para o campo missionário tem sofrido todo tipo de ataques que você possa imaginar. Às vezes, por mais absurdo que pareça, sou levado a concordar com um pastor amigo meu que quando se depara com verdadeiros absurdos no meio do povo cristão diz desta forma: “isso nem o Diabo tem a capacidade de imaginar e fazer”. Mesmo vivendo na África e, já tendo passado junto com a minha família por provações terríveis, ainda hoje sou objeto de campanhas difamatórias e investigações promovidas por colegas que deveriam cuidar melhor da sua vida e do seu rebanho.

Thursday, July 2, 2015

O QUE SIGNIFICA SER CRISTÃO - XIX

SERÁ QUE É POSSÍVEL VIVER EM HARMONIA COM TODAS AS PESSOAS AO MESMO TEMPO? Ao escrever à igreja em Roma, Paulo diz no capítulo 12.8: “Se for possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens”. PELO QUE PODEMOS inferir do texto acima isso é praticamente impossível, não porque não queiramos mas simplesmente porque sempre vai haver alguém que não gosta de nós ou daquilo que somos e representamos, e por causa disso essa harmonia estará prejudicada. Por outro lado, o mesmo versículo diz: "Se for possível..."isto quer dizer que nem sempre será possível mesmo que nos esforcemos para isso, portanto meu amado irmão e minha amada irmã, não se desgaste, não se culpe se mesmo com todo o teu esforço as coisas não andarem tão bem como você gostaria. Tenha paz consigo mesmo e com Deus; caminhe, aja e pratique o que a Palavra de Deus recomenda e tua alma sossegará. Mas o ensino de Jesus vai muito além disso; evidentemente o Senhor Jesus referia-se a um estilo de vida em completa harmonia, no qual todo o tipo de discórdia, desarmonia etc, não teria lugar. Pois enquanto as lutas provocadas pelas sementes, já antes mencionadas são frutos da carne, a paz é um fruto do Espírito Santo. Não apenas paz no que depender de mim, porém muito além disso, paz que se sobrepõe aos meus interesses pessoais, paz no corpo de Cristo, paz na vida da Igreja, paz com os irmãos, paz interna e externa, paz sobrenatural, a qual nos é dada gratuitamente por Jesus, pois foi ele mesmo que disse: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou..” (Jo 14.27). Era como se o Senhor estivesse dizendo: não importa o que vão fazer convosco, em quaisquer circunstâncias da vossa vida, tereis a minha paz. Veja portanto que uma vida cristã ao estilo de Jesus difere em muito do conceito de cristianismo que muitos de nós temos visto, vivido e aprendido, por isso mesmo é que o Senhor disse que os pacificadores serão chamados FILHOS DE DEUS, porque a vida por eles evidenciada, os coloca acima de simples ligações terrenas. Viver como um pacificador é ter paz e conseguir ser feliz mesmo em tempos de guerra interna ou externa.

Wednesday, July 1, 2015

O QUE SIGNIFICA SER CRISTÃO - XVIII

“Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus” (Mt 5.9). O escritor da carta aos Hebreus, abordando em parte este assunto, escreve no cap.12.14: “Segui a paz com todos e a santificação; sem a santificação ninguém verá o Senhor”. Quando Jesus usou o termo pacificadores, ele estava referindo-se àqueles que para além de procurarem viver em paz, buscam produzir a paz onde quer que se encontrem. Do texto acima da carta aos Hebreus, depreendemos que paz e santificação caminham juntas e não poderia ser diferente, pois se alguém não vive em paz, é certo que sua vida está longe de ser o modelo de santidade que o Senhor quer. Um dos maiores problemas hoje no corpo de Cristo é a falta de paz entre os cristãos, seja entre membros e membros, entre membros e pastores ou entre obreiros e obreiros. Em todos os níveis podemos verificar que o diabo tem semeado com sucesso as sementes da discórdia, do rancor, da inveja, do ciúme, da intriga, da presunção, da soberba, do orgulho, da vaidade, da prepotência e também da mentira. Isso produz terríveis resultados no meio da igreja, ao ponto de grandes trabalhos, após este tipo de semeadura ter germinado, praticamente foram exterminados. Porque cada uma destas sementes antes nomeadas produz tão somente guerras no meio da igreja. Conhecemos pessoas, obreiros inclusive, que falam muito sobre santificação, mas vivem uma vida de guerras constantes com outros, e usam de meios sórdidos, destruindo a reputação de colegas, tão somente para se promoverem. Nós que pregamos a Palavra de Deus, somos mais responsáveis que os outros em obedecê-la, e Deus em breve vai cobrar duramente de todos os que estão promovendo destruição e guerra no corpo de Cristo, embora na aparência sejam “os mais santos na face da terra”. O assunto é tão sério que no versículo seguinte, (Hb 12.15), vem um alerta que chama atenção por sua gravidade: “Tende cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus...”. Isto quer dizer que, aqueles que insistem em viver sem promover a paz, por conseguinte não vivem em santificação, estão passíveis de ultrapassar os limites da graça de Deus, perdendo o direito a salvação. O apóstolo Tiago, em Tg 3.18, diz: “Ora, o fruto da justiça semeia-se em paz para os que promovem a paz”. O apóstolo Paulo, na carta aos Gálatas (5.22), escreve que a paz é fruto do Espírito. Juntando os dois ensinos temos que: A paz é fruto do Espírito Santo numa vida em que a justiça, segundo Deus, tem lugar. Somando este com as demais faces do fruto do Espírito temos como resultado: SANTIFICAÇÃO.

Tuesday, June 30, 2015

O QUE SIGNIFICA SER CRISTÃO - XVII

SERÁ QUE TODOS MERECEM IR PARA O CÉU? Jonas recusou-se a ir até Nínive pregar a palavra de arrependimento, porque julgava que os ninivitas não mereciam perdão e salvação (Jn 4.1,2). Ele tinha o seu coração cheio de ressentimento, amargura e falta de misericórdia para com os ninivitas, que na verdade estavam entre os piores e mais cruéis inimigos de Israel, mas Deus queria dar aos ninivitas uma chance de se arrependerem e mudarem, pois eles nunca antes tinham ouvido a Palavra de Deus. Ao ouvirem, seus corações foram transformados de tal maneira que todos se arrependeram, desde o rei até aos mais pequeninos. Então Deus não mais quis destrui-lo, pois viu que eles tinham aceitado a sua palavra (Jn 3.1-10). Eles tiveram os seus corações limpos, enquanto que Jonas, o profeta, o servo do Deus altíssimo estava com o seu coração cheio de ódio e amargura contra eles. Deus teve então que ensinar a Jonas uma lição, para que o coração dele fosse limpo (Jn 4.1-11). Era aquela a segunda vez em poucos dias que Jonas errava o alvo. Na sua fuga Jonas ouviu da tripulação sete perguntas muito interessantes, tipo assim: Quem és tu? De onde vens? O que fazes? Podem imaginar o espanto daqueles homens quando ouviram Jonas dizer que era um profeta do Deus altíssimo e estava fugindo para não executar uma ordem misericordiosa de Deus? Não estaremos nós, servos e servas do Deus altíssimo incorrendo no mesmo erro. Nestes dias, não estamos nós com o nosso coração cheio de sentimentos semelhantes ao de Jonas, pelos nossos irmãos, parentes, vizinhos etc? Qual o caminho para a limpeza do coração? É ouvir a Palavra de Deus, aplicá-la as nossas vidas e deixar que Deus tomará conta daquilo que porventura alguém está fazendo contra nós. O GRANDE ERRO DE JONAS foi achar-se no direito de decidir que merece ou não ser perdoado. Muitos pregam contra Jonas e o chamam de covarde, fujão, etc quando na verdade ele não era isso! Jonas tão somente por causa do histórico que Israel tinha com os ninivitas achava que eles todos não poderiam desfrutar da graça de Deus; seu coração (sua mente) estava cheio de ódio, ressentimento, amargura e maus pensamentos contra os ninivitas, por isso Deus teve de ensinar uma grande lição pra ele. Não importa quanta razão você acha que tem, jamais se coloque contra a graça de de Deus. Aceite este conselho: limpe sua mente do mal, não se deixe dominar pelo mal, mas com a Palavra de Deus, controle e vença o mal na sua vida.

Monday, June 29, 2015

O QUE SIGNIFICA SER CRISTÃO - A PUREZA DE CORAÇÃO

“Bem-aventurados os puros (limpos) de coração, porque eles verão a Deus”.(Mt 5.8) O QUE SERÁ QUE DEUS QUER DIZER COM ESSA EXPRESSÃO: "Puros de coração"? Acho interessante como a maioria das pessoas quando se refere ao coração nesse sentido bate no peito ou aponta para a parte do corpo onde fica esse tão importante órgão, e todos esquecem que o CORAÇÃO é apenas um órgão do nosso corpo encarregado de bombear o sangue; ele nada sente, não pensa e muito menso sente dor. NA VERDADE O SENHOR SE REFERE A NOSSA MENTE, pensamentos, atitudes, ações e palavras. É isso que Ele espera que seja limpo, puro. O salmista Davi escreve no Salmo 24.3,4 uma pergunta muito interessante: “Quem subirá ao monte do Senhor? Quem estará no seu santo lugar?" A resposta vem logo a seguir: “Aquele que é limpo de mãos e puro de coração”. Ter o coração puro é condição indispensável para ser feliz, pois um coração carregado de impurezas traz todo o tipo de tristeza e confusão para a vida daquele que o tem. O profeta Jeremias escreveu no capítulo 17 “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?” Ora, se Deus afirma que o nosso coração é enganoso e cheio de perversidades, é porque isso realmente acontece, e necessitamos de uma purificação nele para alcançarmos a felicidade que Deus nos propõe. Um pouco mais adiante o Senhor Jesus ensina: “...porque da abundância do coração, fala a boca” (Lc 6.45). Se o nosso coração está carregado de impurezas, qual é o caminho para que ele seja limpo e puro? É na própria Bíblia que encontramos a resposta: ao ensinar aos discípulos o princípio da prática da humildade, mostrando que eles deveriam lavar os pés uns dos outros e para que os de fora vissem que estavam em unidade. E acrescentou: “... Ora, vós estais limpos, mas nem todos” (Jo 13.10). Isso significava que ainda havia no meio deles, pessoas cujo coração não estava transformado. Judas era um exemplo, o seu coração estava cheio de usura, deslealdade, inveja, ciúmes etc. O próprio Pedro, que em princípio negou-se a permitir que Jesus lhe lavasse os pés, tinha o seu coração cheio de presunção, pois deixou de aceitar o alerta de Jesus, sobre a hora em que ele (Pedro) o iria trair, e violência (zelo sem sabedoria), pois chegou a atacar um dos servos do sumo-sacerdote, que estava entre os que vieram prender Jesus. Os demais discípulos, com exceção de João, tinham os seus corações cheios de medo, pois todos correram quando Jesus foi preso. Ora, sentimentos deste tipo são típicos num coração sujo – medo, presunção, vaidade, soberba, orgulho, inveja, violência etc.. – tudo isso significa falta de limpeza. Se isso ainda está em nosso coração, é necessário que ele seja limpo! Como? A resposta está em Efésios 5.26: ... “com a lavagem da água, pela palavra”, isto é, somente a Palavra de Deus pode efetuar essa limpeza em nossos corações. Por isso, Jesus falou dizendo: “Vós já estais limpos por causa da palavra que vos tenho falado” (Jo 15.3). O Senhor tinha a plena convicção que no tempo certo aquela palavra iria produzir efeito naqueles corações tão endurecidos pelas leis humanas e naturais. Por causa de razões humanas, nós nos recusamos em aceitar os ensinamentos de Deus e po-los em prática. Nos achamos cheios de razões para agirmos à nossa própria maneira, e isso nos conduz a derrotas no campo espiritual e também no plano material.

Saturday, June 27, 2015

O QUE SIGNIFICA SER CRISTÃO - XV

EM MUITAS LÍNGUAS AFRICANAS você não encontra estas palavras: Misericórdia, perdão, amor, renuncia, bondade, graça, compaixão, etc; por isso quando estamos ministrando e a palavra está sendo traduzida para a língua local, quase sempre os tradutores usam palavras em português, inglês, francês e até mesmo alemão para substituir pois na língua materna a palavra simplesmente não existe. Temos experimentado situações nas quais parece que a única solução é retribuirmos aos outros da mesma maneira como estão agindo para conosco, mas isso não é verdade e nunca deve ser posto em prática por cristãos autênticos e que queiram ser mesmo seguidores de Jesus. Por isso, tanto Paulo, como o escritor da carta aos Hebreus, Rm 12:19 e Hb 10:30, escreveram o mesmo: “... minha é a vingança; eu retribuirei, diz o Senhor”. Se Deus diz que a vingança é atributo dele, portanto não cabe a nós discutir e muito menos praticar. Em Mateus 18.23-35, a parábola do credor incompassivo nos traz o ensino de que aquele que recebe misericórdia deve também praticá-la, pois se assim não o fizerem, estão passivos de receberem um julgamento muito mais rigoroso. Por isso o reino dos céus pode comparar-se a um certo rei que quis fazer contas com os seus servos; E, começando a fazer contas, foi-lhe apresentado um que lhe devia dez mil talentos; E, não tendo ele com que pagar, o seu senhor mandou que ele, e sua mulher e seus filhos fossem vendidos, com tudo quanto tinha, para que a dívida se lhe pagasse. Então aquele servo, prostrando-se, o reverenciava, dizendo: Senhor, sê generoso para comigo, e tudo te pagarei. Então o Senhor daquele servo, movido de íntima compaixão, soltou-o e perdoou-lhe a dívida. Saindo, porém, aquele servo, encontrou um dos seus conservos, que lhe devia cem dinheiros, e, lançando mão dele, sufocava-o, dizendo: Paga-me o que me deves. Então o seu companheiro, prostrando-se a seus pés, rogava-lhe, dizendo: Sê generoso para comigo, e tudo te pagarei. Ele, porém, não quis, antes foi encerrá-lo na prisão, até que pagasse a dívida. Vendo, pois, os seus conservos o que acontecia, contristaram-se muito, e foram declarar ao seu senhor tudo o que se passara. Então o seu senhor, chamando-o à sua presença, disse-lhe: Servo malvado, perdoei-te toda aquela dívida, porque me suplicaste. Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti? E, indignado, o seu senhor o entregou aos atormentadores, até que pagasse tudo o que lhe devia. Assim vos fará, também, meu Pai celestial, se do coração não perdoardes, cada um a seu irmão, as suas ofensas. (Mt 18.23-35) Quero te convidar para, juntos, analisarmos o texto acima em referência. A expressão “reino dos céus”, no v. 23, refere-se, por extensão, ao conjunto de todos aqueles que vivem debaixo do senhorio do Todo Poderoso, sejam eles judeus ou cristãos. Dentro desse reino vai vir a hora em que, de alguma forma durante a nossa vida, o nosso Senhor vai analisar nosso comportamento e nos enquadradar debaixo do seu juízo divino. Nossas dívidas serão cobradas. Ao suplicarmos por misericórdia elas serão perdoadas, mas além de nós a outros seres que também vivem nesse reino, neste caso os anjos de Deus que tudo veem e tudo observam. Se de alguma forma não usarmos para com os nossos irmãos da mesma misericórdia que o Senhor usou para conosco, essa atitude será informada ao Todo Poderoso e Ele cancelará o perdão que nos concedeu e nos entregará nas mãos do torturador – Satanás, que nos vai atormentar até que a nossa dívida seja completamente paga e o tempo pode ser toda a eternidade. Cuidado leitor(a), Deus está de olho em cada um de nós. Antes de Jesus vir a este mundo, o Senhor falou em misericórdia, mas a partir do momento em que o próprio Deus se auto-determina empregar a misericórdia para poder alcançar o ser humano tão caído e degenerado, é natural que ela seja posta na condição de um mandamento. Logo a seguir, ao ensinar sobre oração, Jesus reforça que somente empregando a misericórdia em nosso dia-a-dia, nossas orações terão alcance diante de Deus (Mt 6.14,15). A que conclusão isso nos leva? Que Deus não brinca com a sua Palavra, aquilo que Ele determina deve ser executado até a última letra, algumas pessoas ainda não alcançaram isso; mas Deus não fala para agradar, para brincar ou para nos fazer sorrir, pois Ele vela sobre a Sua palavra para cumpri-la (Jr 1.12).